Sombras, as partes que não aceito em mim

Caros amigos muito bem-vindos novamente ao blog. Já escrevi por aqui sobre sombras, mas hoje gostaria de falar de uma forma mais abrangente e profunda.

O que são as sombras? As sombras são partes de nós que não aceitamos ter. Todos nós, sem exceção, temos um lado empático, que se preocupa com os outros, que enxerga o outro como um ser humano que precisa de respeito tanto quanto nós. Mas também temos dentro de nós um lado obscuro, onde se encontra nossas fragilidades: egoísmo, ciúmes, orgulho, inveja, maldade, raiva, desejos sexuais reprimidos e todo um tanto de repressões, culpas, mágoas, que vamos guardando pela vida afora.

E por que fazemos isso? Porque acreditamos que essas nossas características não são compatíveis com os nossos valores e/ou com os valores da sociedade/família/igreja a qual pertencemos. E aprendemos que temos que ser bons sempre.

E qual é o problema de manter a sombra? Quando não trabalhamos nossas sombras e trazemos para o nível consciente, esses “pesadelos internos” nos assombram. Guiam as nossas vidas e as nossas escolhas sem termos ideia do que está acontecendo. E não encontramos o equilíbrio para ser feliz. E como elas ficam no nosso inconsciente e ele quer a nossa evolução, constantemente elas virão a tona de formas diversas, até que a gente decida abraçar e transformar.

Como as sombras vem a tona? Podem vir por uma neurose, como um TOC, fobia, síndrome de pânico, pode vir como uma doença de fundo emocional, pode vir através de manifestações histéricas, e pode vir através da projeção, onde quero me ater mais.

Quando não nos aceitamos como somos, como por exemplo: agressivos, orgulhosos, invejosos, maledicentes, homossexuais, bissexuais, entre outros, projetamos essa sombra nas pessoas que nos rodeiam. Todas as vezes que apontamos o dedo para alguém em julgamento, estamos falando de nós, de uma destas sombras que resolvemos não aceitar e jogar para o fundo do nosso inconsciente. E cada vez que fazemos isso machucamos o outro, não enxergamos a sua individualidade e o seu limite, e não aceitamos que ele também tem dificuldade em aceitar e abraçar a sombra dele. E cobramos, e exigimos, e nos colocamos como melhores e sabedores, e nossa sombra aumenta, e aumenta até o ponto que irá nos destruir.

O que fazer então? Primeiramente buscar se conhecer, perceber quais as pessoas que estão te incomodando e ver o que elas têm que reflete na sua sombra. Buscar ajuda terapêutica nesse processo de autoconhecimento é de grande valia. Em seguida abraçar e aceitar esse lado nosso que é humano, que faz parte de todos nós. E só depois começar o processo de mudança, usando a razão e sempre se respeitando e respeitando o outro no caminho da evolução.

Não é fácil e não vai ser de um dia para o outro, eu sigo na luta para trazer as minhas para a luz. É doloroso, requer humildade e desapego, mas o fruto que se colhe desta plantação é a paz interior, algo que nada no mundo pode comprar.

Faça uma revisão interna. Olhe pra você. Perceba os julgamentos que faz das outras pessoas e olhe para suas sombras. Se liberte das mágoas e culpas do passado, se permita fazer diferente e seguir, além de deixar o passado no passado. Perdoe e se sentirá livre. Suas sombras são parte do seu eu, não adianta fugir. Elas só precisam de atenção para serem transformadas no potencial de amor que existe dentro de você.

Um grande beijo no coração e até a próxima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.